segunda-feira, 27 de abril de 2015

Viagem, Estádios, Camisas, Futebol



Tirando pó do blog, mais um vez, e aproveitando para reformulá-lo, quero abordar não só os fatos esportivos, mas também relatos de estádios visitados, jogos assistidos e camisas adquiridas para coleção, sim tenho uma coleção de camisas de futebol e ela já esta bem grandinha.

Para começar vou lembrar a minha viagem de férias ao oeste paulista, mais precisamente a Inúbia Paulista, terra da minha namorada Yara, que sempre me acompanha nas aventuras esportivas. Aproveitei os dias na cidade para conhecer o estádio local e os da região.

Inúbia Paulista, não tem time profissional, mas conta com um estádio para disputas amadoras, um estádio pequeno com capacidade para pouco mais de 400 pessoas, mas só ali seria possível eu jogar em um estádio municipal.































A camisa do Inúbia Paulista, também faz parte da coleção graças a Yara.


Assim, como Inúbia, Lucélia também não conta com time profissional, mas o futebol amador é forte, a equipe é campeã da copa Amnap, Copa da Associação de Municípios da Alta Paulista, e a camisa pode ser encontra na loja de esportes da cidade, essa também foi presente da Yara.   


Infelizmente não conseguimos entra no estádio, mas ai esta a fachada.


A cidade mais próxima que conta com time profissional é Osvaldo Cruz, atualmente o time disputa a quarta divisão paulista, segundona, mas já esteve na A2, e essa gloria é retratada em uma placa, logo na entrada do estádio Breno Ribeiro do Val, o Brenão, estádio com capacidade para pouco menos de 12 mil pessoas e que na época da visita vivia a expectativa de receber jogos do Marilia, segundo relato de funcionários que trabalhavam em sua reforma, e por estar em reforma, várias fotos foram feitas. 




As férias também renderam uma visita a cidade de Presidente Prudente, e claro ao estádio Paulo Constantino, mais conhecido como Prudentão, e hoje casa do Grêmio Prudente, também disputando a segundona paulista, com capacidade para 45 mil pessoas, o estádio já foi palco de grandes jogos do futebol brasileiro, infelizmente não conseguimos entrar.


Após o estádio fomos a um shopping da cidade, e depois de rodar algumas lojas de material esportivo, quando já estávamos perdendo as esperanças, achamos a camisa do Grêmio Prudente em uma lojinha de presentes.


segunda-feira, 19 de maio de 2014

Experiência divertida na segundona paulista

Tirando a poeira do blog para contar uma experiência própria, gosto de futebol, suas historias, os estádios, dos grandes clássicos até as partidas de divisões inferiores. E no ultimo domingo, 18, tive a oportunidade de conhecer mais um estádio no interior paulista e de quebra assistir a mais um jogo da segundona, desta vez acompanhado da querida Yara, a partida em questão Paulínia x Sumaré.

Fomos ao estádio de ônibus, pegamos o intermunicipal Campinas- Paulínia e descemos no Parque Ecológico, nem 5 minutos de caminhada e já estávamos no Estádio Municipal Luiz Perissinoto, já havia visto o estádio por fotos, mas me surpreendeu por ser bem menor do que eu esperava, mas suficiente para torcida local. Um ponto negativo é o estádio não ter uma faxada e o lado de fora da arquibancada local ainda estar no concreto, mesmo assim achei aconchegante.


O jogo estava meio vazio, mas um torcedor se destacava empurrando o Paulínia, munido de uma cinta e proferindo frases engraçadas, contra a torcida visitante, contra o juiz e o bandeira e apoiando os jogadores, chamando cada um por seu nome, o tipo de coisa que só se vê na segundona, e os 5 reais do ingresso não pagam.


O jogo começou com pressão total do Paulínia, que logo abriu o placar, o time bem arrumadinho em campo, mantinha a bola e saia em velocidade pelos lados criando algumas chances, não à toa é vice líder do grupo.  Mas o Sumaré, mais na base da empurrância do que da técnica equilibrou o jogo e teve chances do empate, o goleiro do Paulínia garantiu e ainda viu o time fazer o 2º no final.



Experiência divertida e que ainda contou com um passeio no zoológico ao lado da Yara.

P.S.: Fotos da Yara

segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

É tetra, é tetra, é tetra.


Nessa segunda, 7, a FIFA premiou os melhores do mundo em 2012, e como esperado Lionel Messi ficou com o premio pela quarta vez seguida, desbancando Cristiano Ronaldo e Iniesta.
Não há muito que questionar quando o cara eleito faz 91 gols no ano, quebrando um record histórico, (pra quem diz que jogando com Xavi e Iniesta é fácil, saiba que 35 desses gols foi feito sem assistência), e da 23 assistências, números superiores aos principais atacantes, e assim mesmo sem grandes conquistas o premio é merecido. Fosse ele dado ao termino da temporada europeia, 11/12 a disputa poderia ser maior, já que Cristiano Ronaldo foi o principal jogador do Real Madrid campeão espanhol, e Iniesta o principal da Espanha, campeã da Euro, mas como é relativo ao ano de 2012, o premio é de Messi mesmo.
Na premiação feminina Abby Wambach ficou a frente de Marta e Alex Morgan como melhor jogadora, merecido pela olimpíada que Wambach fez, comandando o time americano na conquista do ouro, mas não seria absurdo se o premio ficasse com Alex Morgan jovem jogadora em constante evolução. Já Marta, apesar de ter ido bem na Suécia não foi bem jogando pela seleção, e isso pesa na votação da modalidade.  
Alem de Messi e Wambach, foram premiados os melhores treinadores, Vicente del Bosque, campeão da Euro e Pia Sundhage, campeã olímpica com os Estados Unidos. E o gol mais bonito, honraria que ficou com Miroslav Stoch, como este premio é votação aberta na internet não há como falar em merecimento, é questão de gosto, e como diz o ditado, gosto não se discute.
Durante a premiação também foi escolhida a seleção da FIFA com Casillas; Daniel Alves, Piqué, Sergio Ramos e Marcelo; Xabi Alonso, Xavi e Andrés Iniesta; Lionel Messi, Radamel Falcao e Cristiano Ronaldo. Sem duvidas grandes nomes, mas como o premio é em relação ao ano de 2012 outros poderiam entrar na seleção, Ivanovic na lateral, David Luiz e Thiago Silva na zaga, Pirlo e Yaya Toure no meio e Aguero e Drogba no ataque são alguns exemplos.
Há discussões, preferências, mas não se pode negar que o que faz Messi é histórico e todos deveriam ficar orgulhosos em dizer: eu vi Messi jogar. 

domingo, 6 de janeiro de 2013

Bola Rolando


No futebol o fim de semana foi marcado pela volta de alguns campeonatos europeu, ligas nacionais na Espanha, Itália e Portugal e copas na Inglaterra e França.
Na Espanha, Casillas novamente começou no banco do Real Madrid, contra a Sociedad, mas logo foi pro jogo, quando Adan foi expulso, apesar dos três gols de Xabier Prieto a Sociedad não foi pareô pra Cristiano Ronaldo e companhia que venceram por 4 a 3. No clássico da Catalunha o Barcelona precisou de 29 minutos pra fazer 4 a 0 e vencer o Espanyol, o time segue invicto, agora 11 pontos na frente do Atlético de Madrid que ficou no 1 a 1 com o Mallorca.
Na Itália a Lazio só conseguiu a virada contra o Cagliari, com um gol de pênalti aos 40 minutos do 2º tempo, resultado deixou o time a 5 pontos da Juventus que perdeu pra Sampdoria, o Napoli que contou com três gols de Cavani pra vencer a Roma por 4 a 1 é o terceiro, o Milan venceu, a Inter perdeu, e seguem longe da ponta.   
Na copa da Inglaterra teve inicio a 3ª rodada onde os principais times entram na competição, único time da Premier League eliminado por time de outra divisão foi o Newcastle, que não é nem sombra da boa equipe da temporada passada e tomou 2 a 0 do Brighton & Hove Albion, mas vários outros times ainda enfrentarão o replay e podem cair, a maior surpresa dessa fase foi a derrota do Wolves da 2ª divisão pro Luton Town da 5º, no resto vitoria tranquila do Manchester City, 3 a 0 no Watford e o 5 a 1 do Chelsea no Southampton com direito a dois gols de Demba BA em sua estreia com a camisa dos Blues. Num dos bons jogos o United ficou no 2 a 2 com o West Ham, após tomar a virada com direito a duas assistências de Joe Cole que reestreiava pelo West Ham, o United empatou aos 90 minutos com van Persie e garantiu o replay. O Arsenal também vai encarar o replay após ficar no 2 a 2 com Swansea. O Liverpool chegou a tomar sufoco no fim do jogo, mas conseguiu a classificação pra cima do Mansfield da 5ª divisão, 2 a 1 com direito a gol de Sturridge, outro estreiante.
Na copa da França, o Lille tentou se complicar, abriu 3 a 0 contra o Nîmes da 3ª divisão, tomou 2 gols, mas conseguiu garantir a vitoria, o PSG também tentou, poupando alguns jogadores abriu 4 a 1 no Arras da 5ª divisão, tomou 2 gols e alguns sustos no fim, mas garantiu o 4 a 3, mas quem conseguiu se complicar foi o Lyon, jogando contra o Epital da 3ª divisão, empatou em 3 a 3 e após os pênaltis acabou eliminado.
Em Portugal nada de novidade, vitorias de Porto e Benfica. Por aqui a bola só rola pela Copa São Paulo de futebol Junior, com 100 times na disputa é difícil qualquer analise na 1ª rodada, mas das grandes equipes apenas Flamengo e Corinthians não venceram nessa rodada.

Pitacos sobre o Wild Card da NFL


Começaram, ainda na fase de Wild Card, os playoffs da NFL, no 1º confronto Cincinnati Benglas e Houston Texans fizeram um jogo morno, os Texans não precisaram fazer grandes esforços para garantir a vitoria, tudo por que o ataque dos Bengals foi pífio, Andy Dalton com duas interceptações não conseguiu lançar para touchdown, o único do time foi oriundo de uma interceptação, o time chegou a ter jardas negativas e não deu mostras em momento algum que poderia vencer, mesmo com os Texans também marcando apenas um touchdown, no fim 19 a 13 e o Texans enfrenta na semi na AFC o New England Patriots.
Se o primeiro jogo dos playoffs foi morno, a partida entre Green Bay Packers e Minnesota Vikings não foi diferente, pouco antes da partida os Vikings anunciaram que seu quarterback titular estava fora do jogo, não que o time necessitasse muito das jardas áreas, mas uma mudança dessas é sempre complicada, talvez por isso a equipe conseguiu apenas um fiel goal no primeiro quarto e só foi pontuar novamente minutos antes do fim do jogo, os Packers não precisaram de uma grande partida pra fazer 24 a 10 e garantir a vaga na semifinal da NFC contra o São Francisco 49ers, promessa de jogão.
Baltimore Ravens e Indianapolis Colts também não fizeram um grande jogo, o quarterback dos Colts, o calouro Andrew Luck não conseguiu lançar pra touchdown, apesar de em alguns momentos os recebedores não ajudarem, os únicos pontos do time vieram de três fiel goals, assim o Ravens fez 24 a 9 e acabou com as chances de Payton Maning reencontrar os Colts, Denver Broncos e Baltimore Ravens farão a outra semi da AFC.
O jogo entre, Washington Redskins e Seattle Seahawks, começou com tudo, já no primeiro período os Redskins fizeram 14 a 0, não imaginavam que seriam os únicos pontos deles no jogo, RGIII baleado e a defesa do Seahawks não deixaram a pontuação aumentar, falando em defesa a do Redskins tomou 13 pontos no segundo período, mas segurou o placar o quanto pode, no fim vitoria do Seahawks por 24 a 14 que agora enfrenta o Atlanta Falcons pela NFC. 

Primeiros campeões do tênis em 2013


Faltando uma semana para o primeiro Grand Slam da temporada, o Alberto da Austrália, o fim de semana do tênis foi marcado pelas primeiras finais do ano e consecutivamente os primeiros campeões.
Sem contar com Rafael Nadal, machucado, Roger Federer, de férias, e Novak Djokovic, na Copa Hopman, o principal nome nos torneios da ATP foi Andy Murray que disputou o torneio de Brisbane, e o britânico não encontrou dificuldades pra chegar à final, principalmente depois que o japonês Nishikori sentiu uma lesão e abandonou a semi, na final um surpreendente Grigor Dimitrov, que entre outros passou pelo cabeça de chave numero dois, Milos Raonic, o búlgaro começou muito bem mas não segurou Murray que venceu por 2 a 0. Outro torneio que agitou o começo de ano foi o de Doha, tudo parecia caminhar pra normalidade com os principais cabeças de chave na semifinal, mas David Ferrer perdeu para Nikolay Davydenko deixando o caminho livre para Richard Gasquet conquistar o titulo. No ATP de Chennai na Índia, Tomas Berdych, cabeça de chave numero um, caiu nas quartas, seu algoz Roberto Bautista, chegou à final contra Janko Tipsarevic, mas não foi pareô para o sérvio. No Brasil o aberto de São Paulo viu Rogerinho chegar à final e apesar do bom começo de jogo perdeu para o argentino Horacio Zeballos. Brasileiro campeão foi Marcelo Melo, que ao lado de Tommy Robredo venceu o torneio de duplas de Brisbane.
No WTA, o torneio de Brisbane prometia com as três primeiras do ranking na competição, porem antes de estreia Maria Sharapova sentiu lesão e desistiu, já na 1ª rodada, Caroline Wozniacki que a algum tempo não joga bem caiu, caminho aberto para Victoria Azarenka e Serena Williams fazerem uma semi fantástica, e as duas chegaram la sem perder nenhum set, porem a bielorrussa sentindo o dedo do pé desistiu do jogo, caminho escancarado para Serena Williams conquistar seu 1º titulo da temporada já que Anastasia Pavlyuchenkova não foi pareô para ela. No aberto da China, a dona da casa Na Li não encontrou grandes dificuldades para conquistar o titulo, ainda mais depois que a cabeça de chave numero dois, Marion Bártoli caiu na 2ª rodada. Em Auckland, a cabeça de chave numero dois, Julia Goerges também caiu cedo, mas a numero um Agnieszka Radwanska e três Yanina Wickmayer chegaram a final, sem grandes dificuldades Radwanska ficou com o titulo.
Na Copa Hopman o melhor time parecia ser mesmo o da Servia que contou com Djokovic e Ana Ivanovic, na 1ª fase única derrota do time foi com Djokovic contra Bernard Tomic, mas as vitorias de Ivanovic e nas duplas garantiram os dois na final, no outro grupo Tsonga não tinha uma grande parceira a seu lado, Isner não foi bem e assim a Espanha com Fernando Verdasco e Anabel Medina Garrigues chegou à final, na decisão Djokovic venceu Verdasco, Ivanovic, ao contrario dos outros jogos do torneio, não foi deixando o ponto final ser decidido na várzea das duplas mistas, onde deu Espanha.
Os primeiros torneios do tênis não apresentaram grandes surpresa, na próxima semana mais alguns agitarão o circuito, mas o que interessa mesmo começa no próximo dia 13.

sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

Vôlei brasileiro poderia ser melhor


Faz um ano que comecei a frequentar os jogos do time de vôlei masculino de Campinas o Medley/Campinas, e assim acompanhar de perto o vôlei brasileiro, mais recentemente com a criação da equipe feminina, o Vôlei Amil, também passei a ir nos jogos e perguntar qual a realidade do vôlei brasileiro, ao menos de sua principal competição, a superliga.
É inegável o alto nível que se encontra as seleções nacionais, com inúmeros títulos conquistados nos últimos anos, incluindo o ouro feminino e a prata masculina na ultima olimpíada, assim como as boas seleções de base que o país possui, também é inegável os excelentes jogadores incluindo estrangeiros e brasileiros que retornaram do exterior (ainda que o bom momento da economia brasileira e a crise europeia influenciam nisso), mas a estrutura do vôlei brasileiro é a melhor que poderíamos ter?
Pra começar praticamente não há clubes de vôlei, há times formados por duas ou três temporadas, onde um patrocinador investe dinheiro, forma a equipe e depois vai embora, mas esse deve ser um sistema que agrada a confederação de vôlei, não há questionamentos, não força política que clubes poderiam fazer, o dinheiro pago pela TV vai todo para a confederação. TV que manda no campeonato, seja nos dias e horários das partidas, forma de disputa, ate o absurdo, de por regulamento, os treinadores não poderem negar o microfone nos pedidos de tempo, aqui vale um parêntese, pra mim a exigência de se ouvir o pedido de tempo é um comodismo de quem faz a transmissão, é mais fácil pro comentarista e pra toda equipe, na NBA, por exemplo, durante os tempos a transmissão é enriquecida com estatísticas e analises aqui muitos comentaristas ficariam perdidos sem ouvir os treinadores. Não sou hipócrita de achar que uma empresa investe no vôlei apenas pelo bem do esporte, por que o presidente da empresa é fã da modalidade, claro que é um negocio no mínimo rentável, mas outro absurdo é os patrocinadores não serem divulgados na transmissão, seja falado ou escrito no placar.
Sobre a superlia em si, também questiono seu formato, 12 times no masculino e 10 no feminino é pouco para o formato que é disputada, são poucos jogos, não precisamos chegar as 82 de uma NBA e NHL, mas apenas turno é returno é muito simplista, apenas 4 meses de competição pra quem não se classifica e 5 pra quem chega nos playoffs, poderiam ser uns 30 jogos na 1ª fase, maior tempo de competição, e mais exposição pros times, mas claro que pra isso necessitaria maior equilíbrio, na temporada passado por exemplo, com 2 rodadas de antecedência já estava tudo definido. Na atual temporada a superliga masculina ate mostra um equilíbrio, mas na feminina onde de 10 equipes 8 se classificam, já podemos falar agora os 4 semifinalistas e mesmo com achegada da Amil é bem provável que a final seja novamente entre Sollys e Unilever.
No masculino houve a criação da superliga B, uma segunda divisão, extremamente precipitado, na ultima temporada teríamos o ultimo colocado da superliga rebaixado e o campeão da superliga B subindo, mas no fim campeão e vice subiram, pois o time de Montes Claros desistiu do vôlei, e como já era esperado, o ultimo colocado Londrina, não vai disputar a superliga B esse ano, também desistiu do vôlei, como não são clubes não é igual no futebol onde um time cai e na temporada seguinte vai ta la, o vôlei depende de investimento de empresas, mas obviamente não é bom pra um empresa colocar dinheiro em uma equipe rebaixada é mais fácil sair da modalidade.
Enfim, o vôlei brasileiro é muito bom, a superliga é uma competição legal de se acompanhar, mas se fosse tratada com mais carinho poderia ser muito melhor.